welcome

Photobucket

Seguidores

Buscar a Arca da Aliança


Um plano maravilhoso que deu errado. Por quê?

Texto-base: I Crônicas 13

1 – O motivo da busca

- O que era a arca? Um móvel (baú) de madeira de acácia, revestido com ouro (Ex.25.10-16). Era símbolo da presença de Deus e de sua aliança com Israel. Uma preciosidade para os judeus. 
- A arca foi tomada pelos filisteus no tempo de Eli (ISm.4.17). Depois de devolvida, não voltou ao tabernáculo. Ficou 20 anos na casa de Abinadabe, em Quiriate-Jearim (ISm.7.1-2). Saul não buscou, mas Davi resolveu buscá-la. 
- A comparação entre Davi e Saul (13.3). “Davi é o melhor”! Muitos devem ter parabenizado o rei pela sua iniciativa.

2 – O plano de buscar a arca

- O propósito era bom, algo para Deus, mas isso apenas não garante que dará certo. 
- Podemos compará-lo aos nossos planos, alvos, sonhos e projetos pessoais, ministeriais, etc.
- Podem ser propósitos bons e louváveis, feitos para Deus, relacionados ao culto e à religião. 
- Podem envolver resgate de valores, restauração, restituição, como era o plano de Davi. 
- Todos concordaram com a busca da arca. Não houve oposição nem resistência. Isso podia ser visto como bênção e aprovação divina. “As portas estão se abrindo”! 
- Naquela passagem observamos iniciativa, unidade e participação: o que tanto queremos hoje. Porém, nada disso garantiu o sucesso do plano.

3 – A execução

- Uma grande festa, culto, alegria, louvor, celebração. 
- Os bois avançavam (13.7). Aparente progresso e sucesso. O que pode dar errado? Temos todos os recursos.

4 – Os erros de Davi

- O procedimento começou sem oração. Davi não consultou ao Senhor. O propósito era tão bom que não acharam necessário orar. ORE SEMPRE (veja como Davi fez diferente depois: 14.10). No início, no meio, no fim, com dúvida, com certeza, com recursos ou na falta deles, ore. 
- A arca deveria ser levada nos ombros, apoiada pelos varais (Ex.25.14), e não em um carro, ainda que fosse novo. Portanto, a lei foi desobedecida. O esforço foi evitado. Carregar peso? Nem pensar. 
- A arca deveria ser levada por homens e não pelos bois. A lei foi desobedecida. Não terceirize o que é de sua responsabilidade pessoal e intransferível: ler a bíblia, orar, louvar, jejuar, confessar, etc.
- A arca deveria ser levada pelos levitas e não por pessoas quaisquer. A lei foi desobedecida. Uzá e Aiô não eram levitas (os bois também não). Não adianta ser forte e capaz, sem ser escolhido por Deus para aquele propósito. (Podiam ser úteis para outros objetivos). 
- Portanto, houve vários pecados naquele processo. O propósito era excelente, mas o modo errado e com as pessoas erradas. Não podia dar certo.

5- O fracasso

- Os boi tropeçaram. Quando existe pecado, o tropeço e a queda são inevitáveis.
- Ninguém podia tocar na arca, mas apenas nos varais. Uzá tocou na arca para evitar que ela caísse. Por isso, foi morto imediatamente.
- Deus impediu a continuidade daquele propósito. Voltou-se à estaca zero. Quantas vezes isso acontece com os nossos planos? 

6- Plano B – tentando novamente (ICr.15).

- Davi não desistiu por causa do fracasso da primeira tentativa.
- Agindo da maneira correta, com as pessoas certas, sem pecado, Davi conseguiu, com a bênção de Deus, realizar seu objetivo. 
- Resultado: deu certo. A arca foi colocada no tabernáculo (ICr.16.1).

Conclusão: Precisamos ter cuidado para que os nossos bons planos não fracassem. Devemos orar sempre e observar se não estamos desobedecendo a palavra de Deus na busca dos nossos propósitos.


Anísio Renato de Andrade – Bacharel em Teologia. 

1 comentários:

♥ Paulinha ♥ disse...

mamiiiiiiiiiiiii
Tem selinho lá no meu blog pra senhora se já tiver recebido esse não precisa pegar... aliás tem selinho nos meu 2 blogs pra senhora rsrsrs
passa lá e pega
bjs

Para você!!!

Photobucket

 
Voltar